12 de out de 2010

Glossário: informações úteis sobre deficiência mental e autismo

No dia a dia dos consultórios, os pais ouvem uma série de termos, para tentar esclarecer alguns deles, veja o pequeno glossário a seguir:

Afasia:diz-se da falta de fala e comunicação

Anamnese: entrevista que o médico ou terapeuta faz para saber mais sobre o paciente, uma anamnese pode incluir ainda dados sobre gestação, parto, ambiente em que vive e dependendo do médico e da linha seguida pode durar uma hora. Esta anamnese servirá de base para o médico.

Anoxia: falta de oxigênio no cérebro, usada normalmente com o termo neonatal, anoxia neonatal = falta de oxigênio na hora da nascimento.

Anti-convulsivos: medicação que tenta inibir o processo de convulsões epiléticas. Os mais utilizados são: fenobarbital, ácido valpróico e etc. Os nomes comerciais variam muito. Ex: Gardenal, Rivotril, Depakene, Maliasin... O uso destes medicamentos leva a dependência, existem controvérsias a cerca de sua viabilidade. São receitados por neurologistas e psiquiatras, com retenção da receita. De qualquer forma, o uso deve ser rigorosamente acompanhado pelo médico.

Apatia: (do Latin apthia + Gr. apátheia) insensibilidade; indiferença; impassibilidade; inércia; marasmo.

Atrofia: diminuição ou definhamento de uma célula, músculo ou órgão, no todo ou em parte.

Audiometria: exame realizado por fonoaudiólogos em que se avalia a audição do paciente, em ambos os ouvidos.Depende da colaboração e participação do mesmo.

Audiometria Comportamental: semelhante ao anterior, porém o fonoaudiólogo não conta com a participação ativa do paciente, neste caso depende da observação dele. Raramente funciona com autistas. Mesmo nos demais casos, não costuma ser conclusivo.

Autismo: distúrbio de ordem neurológica que afeta o indivíduo em vários aspectos e principalmente a comunicação. Em muitos casos apresenta retardo mental e epilepsia associada. Possui vários espectros (variantes) e sua causa ainda é desconhecida. Veja mais no link definição.

AVD ou Atividades da Vida Diária: normalmente avaliam o paciente para ver qual o nível de AVD que ele exerce sozinho, por exemplo, escovar os dentes, comer, beber, ir ao banheiro, vestir, tomar banho. O objetivo sempre será estimular o maior índice possível de AVD.

Bera: exame que avalia como o cérebro reage aos sons, o paciente fica deitado, com vários fiozinhos ligados e não depende de sua colaboração. O aparelho mostra as reações do cérebro, independente da colaboração do paciente. Usado para detectar níveis de audição em autistas e portadores de DPAC (distúrbio de processamento auditivo central).


Cognitivo: termo empregado para definir o aprendizado, conhecimento, diz-se: qual o nível de cognitivo, ou o cognitivo está afetado (capacidade de aprendizado e compreensão afetados).

Congênito:(nascido com o indivíduo, popular=de nascença) termo utilizado pela classe médicaquando não há uma resposta clara e não se consegue chegar a um diagnóstico.

DPAC (Distúrbio de Processamento Auditivo Central): recentemente classificado, este distúrbio mostra que algumas pessoas tem reações diferentes aos sons. Uma pessoa com DPAC pode ter extrema sensibilidade para alguns sons (como se ouvisse demais) e aparente surdez para outros.

Ecolalia:ato de repetir palavras ou frases, sem observar o sentido, geralmente repetindo até a entonação ouvida.

EEG (Eletroencefalograma): o paciente (sedado ou não) fica com uma série de fios com sensores colados na região da cabeça e através do aparelho um gráfico mostra o ritmo das ondas cerebrais, impresso num papel. O resultado impresso é então interpretado pelo neurologista ou psiquiatra e determina se há e qual o tipo de epilepsia ou outra disfunção.

Epilepsia: distúrbio do SNC (Sistema Nervoso Central) que tem vários tipos, causando convulsões (ataque epilético) ou ausências (pequenos desligamentos); atualmente dividida em várias categorias, em alguns casos pode ser tratada com cirurgia.

Estereotipia: este termo é empregado para definir movimentos repetitivos que muitos autistas usam. Normalmente chamados movimentos estereotipados. Ex: girar rodas, balançar o corpo, bater as mãos etc.

Fenilcetonúria: deficiência em absorver fenilanina, pode provocar retardo mental. Detecta-se com exame realizado com uma gota de sangue do pezinho do recém nascido (também conhecido como "teste do pezinho"). Atualmente é obrigatório no Brasil.

Hemiplegia: distúrbio causado por lesão cerebral que paralisa ou dificulta um lado inteiro do corpo.

Hipertonia:(-hiper = alto, muito, tonia = tônus), significa alto tônus muscular, rigidez.

Hipotonia: (-hipo=baixo, pouco, tonia=tônus), significa baixa tonicidade muscular, flacidez.

Isolamento: isolação; estado de quem está isolado; solidão.

Isolar: (do It. isolare): tornar solitário; separar; deixar só; separar-se; não conviver.

ITA(Imuno Terapia Ativada): técnica de tratamento que se utiliza de processos imunológicos, combatendo alergias, das mais comuns às menos conhecidas, como as do SNC.

Legível: no jargão clínico, um paciente/aluno é ou não legível para o trabalho de uma instituição ou escola pelo seu nível de desenvolvimento. No caso de escolas, elas podem estar estruturadas para crianças mais independentes,ou usar métodos de ensino que ainda não se enquadram a criança, ou a criança estar acima dos trabalhos realizados.

Mineralograma: exame usado pelos médicos Ortomoleculares para determinar o nível de metais pesados no organismo. É feito a partir de alguns fios de cabelo da região da nuca.

Multidiciplinar: termo usado para definir um grupo de profissionais que trabalham em conjunto. Comum nos centros de reabilitação aonde a equipe de fonoaudiologia, pediatria, terapia ocupacional, fisioterapia epsicologia trabalha com um mesmo paciente e discutem técnicas para a melhor evolução do paciente.

Neuropsicomotor: refere-se ao desenvolvimento do sistema nervoso, do aspecto psicológico e do desenvolvimento e coordenação motora, formando os três um conjunto.

PC ou Paralisia Cerebral: termo utilizado para definir pacientes que sofreram falta de oxigênio no cérebro, perdendo parte de suas funções.

PNE: portador de necessidades especiais.

Psicose: relativo a distúrbios mentais, pode ser em diferentes graus, de leve a grave.

Quelação: tratamento que propõe a desintoxicação do organismo, especialmente em metais pesados, que busca o alívio e ou cura de diversos males da saúde. No Brasil é usado na medicina Ortomolecular.

Reorganização Neurológica: conceito lançado por Temple Fay e Glen Doman, sobre o desenvolvimento, que entende estarem ligados entre si os aspectos de visão, audição, fala, coordenação, motor etc., entendendo que uma falha num ou em demais pontos pode comprometer os demais. O tratamento consiste em repetir os processos de desenvolvimento, a partir do ponto em que houve a falha. Melhor detalhado no livro "O que Fazer pela Criança de Cérebro Lesado".

Ressonância Magnética: exame mais profundo que a tomografia, mas com o mesmo objetivo.

Rotina: seqüência de atos ou procedimentos habituais, caminho já percorrido e conhecido.

Síndrome:conjunto de determinados sintomas, de causa desconhecida ou em estudos, que são classificados geralmente com o nome do cientista que o classificou ou o nome que o cientista lhe atribuir.

Síndrome de Down: deficiência causada por fatores cromossômicos, pode ou não estar associada a outros quadros.

SNC: Sistema Nervoso Central

TDAH:Transtorno do Déficit de Atenção e Hiperatividade.

TID: Transtornos Invasivos do Desenvolvimento.

Tomografia: exame realizado para detectar problemas na formação da região cerebral. Comumente a criança é sedada para realização do exame.

Vegetativo: termo utilizado quando o indivíduo apresenta apenas as funções básicas (cardiorrespiratórias) com ou sem auxílio de aparelhos, não apresentando as demais funções.

Fonte: Autistas.org

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...